ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA
 DE AVIAÇÃO GERAL

 R. Coronel Tobias Coelho, 147
 Aeroporto - São Paulo - SP
 Tel: +55 (11) 5032-2727
 Fax: +55 (11) 5031-1900

 

Javascript DHTML Drop Down Menu Powered by dhtml-menu-builder.com

Cresce venda de seguros para aviões no Brasil

Atualmente, o Brasil possui a segunda maior frota de aviação geral do mundo, atrás somente do EUA, que engloba jatos, turboélices, helicópteros e outras aeronaves de uso particular ou de táxi aéreo. De acordo com dados da Agência Nacional de Aviação Civil/ANAC, o número de operações e de aeronaves vem crescendo significativamente. No quesito aeronaves, houve um crescimento aproximado de 5% em 2012.

           

“O momento continua propício para aquisições de aeronaves novas e seminovas, uma vez que a economia externa ainda se recupera, o que reflete em significativos descontos na hora da negociação.", informa o diretor de uma empesa de seguros, Alexandre Mucida.

           

Para o empresário, o seguro aeronáutico é imprescindível. “A compra de um avião é um investimento significativo. É muito importante a conscientização da necessidade de preservar a aeronave (patrimônio) em si e a operação aérea, que na maioria dos casos tornou-se um diferencial estratégico das empresas.”, destaca.

           

Segundo Mucida, entre os seguros disponíveis há o de Responsabilidade de Exploração do Transporte Aéreo/RETA, semelhante ao seguro obrigatório de veículos (DPVAT) e dois complementares: o de casco e o de danos a terceiros. “O seguro de cascos cobre o aparelho contra roubo, incêndio, objetos estranhos que danifiquem a turbina, ventos acima de determinada velocidade e até sequestro e o custo para contratação é muito interessante se observarmos o valor do bem.” O cálculo do RETA baseia-se na quantidade de tripulantes e de passageiros e do tipo de cada aeronave.

           

É importante também citar o seguro obrigatório de responsabilidade civil de operadores de hangar, já que todas as aeronaves de terceiros que lá operam necessitam desta cobertura.

           

E conforme exigência da Infraero há também o seguro de responsabilidade civil das empresas que trabalham dentro de recintos aeroportuários, no transporte de pessoas, carga, catering, handling e que executam serviços diversos, como manutenção ou atém mesmo jardinagem, além do seguro específico para fabricantes de aeronaves e peças, caso haja algum dano após a entrega da mesma.

“Vale ressaltar que para cada contratação de seguro aeronáutico se faz necessário o preenchimento correto dos questionários, e conferido pelo setor técnico da corretora antes do envio para a seguradora, a fim de evitar problemas, ou até mesmo o declínio da cobertura na hora da indenização.”, alerta Mucida, que vem investindo em capacitação técnica de sua equipe neste segmento.

Fonte: Portal Nacional de Seguros